segunda-feira, 15 de julho de 2013

Diretoria do Atlético-MG projeta renda de R$ 8 milhões no Mineirão.

Expectativa é que jogo contra o Olimpia tenha a maior arrecadação da história do futebol brasileiro.


A segunda partida da grande decisão da Taça Liberadores, entre Atlético-MG e Olimpia, do Paraguai, marcada para o dia 24, às 21h50m (de Brasília), no Mineirão, deverá proporcionar a maior renda do futebol brasileiro em todos os tempos. Pelo menos é o que projeta a diretoria do Galo. O estádio tem capacidade para abrigar quase 63 mil pessoas, que pagarão o que for necessário para estarem presentes no maior jogo da centenária história do clube. Segundo a diretoria atleticana, os valores deverão superar os R$ 6.948.710 da renda registrada no confronto entre Flamengo e Santos, na estreia das equipes na atual edição do Campeonato Brasileiro. Naquela oportunidade, no Mané Garrincha, em Brasília, o atacante Neymar se despediu do futebol brasileiro.
Torcida do Atlético-MG no Mineirão (Foto: Bruno Cantini / Flickr do Atlético-MG)Torcida do Atlético-MG vai lotar o Mineirão (Foto: Bruno Cantini / Flickr do Atlético-MG)
O diretor de futebol do Galo, Eduardo Maluf, afirmou que a renda deverá ser recorde, já que o apelo e a ansiedade dos torcedores alvinegros são enormes.
- Não sei ainda, não tem nada resolvido, nem que o jogo será no Mineirão. Mas acredito em uma renda de R$ 8 milhões, R$ 9 milhões.
O Atlético-MG, através do presidente Alexandre Kalil, ainda luta, nos bastidores, para transferir a partida decisiva para o estádio Independência, onde o Galo não é derrotado há 38 partidas. Porém, a Conmebol parece irredutível, e a final deverá mesmo ser realizada no Mineirão.
- Temos que esquecer essa situação e parar de reclamar do Mineirão. Vai ser ótimo, e a torcida vai comparecer em massa - afirmou Maluf.
A diretoria alvinegra não definiu detalhes da venda antecipada de ingressos nem ainda quais serão os preços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário